Muitas pessoas ainda têm dificuldade para reconhecer a importância de ir ao oftalmologista regularmente. A procura por um especialista só costuma acontecer quando o paciente tem algum problema no olho ou dificuldades para enxergar.

Além da visita ao médico, algumas ações cotidianas são importantes para mantermos a saúde em dia ocular em dia. A conjuntivite, por exemplo, é uma doença muito comum que pode ser prevenida com cuidados simples.

A conjuntivite é resultado da inflamação de uma membrana, a conjuntiva, e os sintomas são bem desagradáveis: olhos vermelhos, coceira e secreção podem durar até 15 dias. Ela pode ser do tipo alérgica ou infecciosa, e apesar dos sintomas semelhantes, tem causas diferentes.

A alérgica, como o próprio nome sugere, é mais comum em pessoas predispostas à alergia (que já tem rinite, bronquite e/ou outras atopias). Não é contagiosa e, nestes casos, é importante que a causa seja logo encontrada, pois pode variar de pessoa para pessoa.

A infecciosa, por sua vez, é transmitida por vírus ou bactérias e pode ser contagiosa. O tratamento dos sintomas, nesse caso, envolve uso de lubrificantes artificiais e compressas frias; e, eventualmente, colírios antibióticos. É importante ressaltar que estes devem ser usados apenas sob prescrição médica.

A contaminação pode ser evitada de diversas formas. Coçar os olhos com as mãos sujas é um hábito comum e que deve ser interrompido. Entre as mulheres, o compartilhamento de utensílios de maquiagem é um erro.

Os sintomas dos dois tipos são semelhantes, logo, é importante procurar um oftalmologista para fazer o diagnóstico e indicar o tratamento ideal para cada caso.

Quem usa lentes de contato deve estar ainda mais atento. É preciso respeitar a durabilidade das lentes e limpar diariamente com produtos específicos. As gelatinosas são as mais perigosas, pois têm grande capacidade de aderir sujeira e muco. A higienização

Texto: Alexandre Kazuo, oftalmologista e coordenador do Departamento de Oftalmologia do HSANP.

Leave a reply