No dia 09 de dezembro, é celebrado no Brasil o Dia do Alcoólatra Recuperado, a fim de homenagear a luta silenciosa de cerca de quatro milhões de brasileiros. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), este é o número de cidadãos do nosso país que vivem com o alcoolismo, o que equivale a 4% da população nacional. Enquanto a data celebra, de fato, aqueles que conseguem se afastar de seus vícios, são muitos ainda que sofrem diariamente com as sequelas e preconceitos que ele carrega.

Como bem explica o estudo “Emergência e Álcool e Drogas”, realizado pela UNIFESP, “as complicações relacionadas ao uso de álcool e drogas nas salas de emergências são um fato corrente na atualidade” brasileira. Ao pensar nas diferentes complicações relacionadas ao exagero nas bebidas alcoólicas, é comum pensar apenas em acidentes de trânsito (o Brasil registra 40 mil óbitos por ano neste quesito) e na cirrose hepática, doença causada por lesões no fígado que se cicatrizam, fazendo com que o órgão perca sua função e caminhe para a falência completa. A verdade, porém, é que há diversos males que são causados ou agravados pelo abuso do álcool. Confira abaixo alguns destes exemplos:

  • Gastrite: talvez a mais comum entre as doenças relacionadas ao álcool, ela é uma inflamação na parede do estômago que pode causar sintomas como perda de apetite, náusea, azias e até vômitos. Se não tratada, ela pode causar doenças muito mais graves, como úlceras e até o câncer de estômago.
  • Impotência ou infertilidade: o abuso de álcool pode lesionar nosso sistema nervoso e provocar a impotência masculina. Já em mulheres, o período menstrual pode se tornar irregular e provocar até infertilidade. Vale lembrar aqui também que o álcool não é recomendado durante a gestação.
  • Infarto ou trombose: o consumo de bebidas alcoólicas em excesso também pode provocar doenças cardiovasculares como infarto ou trombose, em razão das altas taxas de colesterol e triglicerídeos, onde há excesso de gordura acumulada nas artérias, impedindo que o sangue circule normalmente.
  • Pelagra: esta doença é causada pela falta de vitamina B3, que deixa pele com um tom acastanhado em diferentes partes do corpo, como face e mãos, e que geralmente causa uma coceira frequente e diarreia constante. Se você aparentar algum destes sintomas, busque imediatamente um dermatologista ou nutricionista. O tratamento envolve a adequação de sua alimentação para ingerir mais alimentos ricos em vitamina B3, como amendoim, atum e sementes de gergelim.
  • Demência: caracterizada pela perda de memória, dificuldade em falar e em mover-se, este transtorno pode surgir ou até agravar-se em razão do consumo elevado de álcool. Normalmente, o alcoólatra se torna dependente de outras pessoas para funções básicas, como comer, se vestir ou tomar banho.
  • Anorexia Alcoólica: ela ocorre quando bebidas alcoólicas passam a ser ingeridas no lugar de alimentos para evitar a ingestão de calorias e emagrecer. Este é um distúrbio alimentar, que facilmente pode levar ao surgimento da anorexia da bulimia. Neste caso, é importante a ajuda de profissionais psiquiátricos e nutricionais.

Além destes males, o álcool também pode agravar ou causar diversas outras doenças. Novos estudos confirmam, por exemplo, a ligação direta entre o consumo de bebidas alcoólicas e o surgimento de até sete tipos de câncer, que incluem a faringe, laringe, esôfago, fígado, cólon, reto e mama. O consumo de bebidas alcoólicas também não é aconselhado em pacientes com doenças como fígado gordo, pedra na vesícula ou síndrome do intestino irritável. No geral, é sempre bom evitar o consumo excessivo de álcool, mesmo que você seja uma pessoa completamente saudável. Com cuidado e responsabilidade será possível diminuir cada vez mais o número de alcoólatras no Brasil.

 

*Texto por: Dr. Ulisses dos Santos, gestor médico do HSANP.

Leave a reply